sexta-feira, 31 de maio de 2013

[uma boa ideia]

No infantário da B. não é permitido levar bolo de aniversário. No final de cada mês há um bolo para os aniversariantes. Sugeriram aos pais que levassem uma lembrança para cada colega, mas também não permitem guloseimas. Apoio totalmente, mas ficamos preocupados. São 20 crianças e é muito difícil encontrar algo minimamente interessante a um preço inferior a 1 euro. E mesmo 1 euro vezes 20 é muito. Também não sou fã de oferecer só por oferecer. 
E eis que tivemos uma ideia genial. Nas nossas compras para a horta, lembramo-nos de oferecer um pé de alface. Uma planta que precisa apenas de um vaso médio para crescer, o que acontece em poucas semanas. Nós temos alfaces na nossa varanda e têm dado imenso jeito para as nossas saladas. Além disso acho bastante didáctido uma criança ter algo para cuidar e quem sabe depois comer. Ficou decidido, desenhei as etiquetas, comprámos papel pardo para embrulhar e fita de ráfia para atar, vasos de plástico e um saco de terra.
Contas feitas, um pé de alface custa 7 cêntimos, mais 3 euros para 30 vasos, 1 euro por um saco de terra, 35 cêntimos por uma folha tamanho A0 de papel pardo e 2 euros para a fita de embrulho, cada presente ficou por 40 cêntimos. Nada mau. As educadoras ficaram todas contentes e nós também. Presentinhos sustentáveis e saudáveis para todos!

quarta-feira, 29 de maio de 2013

2

E pronto, chegou o dia. Dois anos. Já sabem a história, dois anos de amor, dois anos de aprendizagem, dois anos de felicidade, de descobertas, de andar às cegas até acertar, dois anos de adaptação a uma vida que nunca mais há-de ser como era. E para o ano, se Deus quiser serão três, e depois quatro,e por aí fora. Queremos é que sejam muitos e bons. Bons e óptimos como diz a H..
Há dois anos fazia calor, no ano passado também e fomos à praia. Este ano chove e a B. está doente. Mas com estas condicionantes vamos ter que fazer o melhor possível. E vai ser um bom dia. Porque é dia de festa e cantam as nossas almas. Parabéns, minha pequenina. A mãe ama-te muito muito muito muito muito muito muito muito muito muito muito. Muito.
  

terça-feira, 28 de maio de 2013

Na minha cozinha #6

Voltando aos risottos. Eu já perdi a conta às vezes que fiz risotto de cogumelos. E faço normalmente como aprendi: os cogumelos cozinham ao mesmo tempo que o arroz.
Mas há umas semanas, no JA ao Lume, o chef Avillez cozinhou este prato e cozinhou os cogumelos à parte. Corrijo, caramelizou e temperou. Da vez seguinte que fiz risotto, resolvi fazer assim. Cozinhei o arroz numa panela e caramelizei os cogumelos numa sertã, com azeite e temperei com sal e pimenta. Julgo que também se pode juntar alho, mas não colocar logo de início para não torrar. Devo dizer que adoptei este método e fiquei fã. Os cogumelos ficam mais al dente e com um sabor muito mais intenso, valorizam mesmo o prato. 
Vivendo e aprendendo.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Insta 365 :: Semana 21

Seg
#140

 Aquisições aromáticas para a minha horta.


Ter
#141

Tantas tardes de segunda que passei aqui.


Qua
#142

Devidamente equipada.


Qui
#143

Shaun the Sheep aka Ovelha Choné.


Sex
#144

Depois de deixar a pequenina na creche.


Sáb
#145

Companheiros da sesta.


Dom
#146

My baby.




Insta 365 :: Semana 20 atrasada-com-as-minhas-desculpas

Seg
#133

Amo.


Ter
#134

A saída do infantário. Ela adora subir e descer a escadaria.


Qua
#135

 Em construção. Primeira coisa a mudar, mal possa: a foto.


Qui
#136

 Está um calor esquisito.


Sex
#137

Depois fiquei com saudades de Barcelona... outra vez.


Sáb
#138

Iogurte da minha iogurteira, com mel e nozes.


Dom
#139

Bolo de banana para assinlar o World Baking Day.

9 meses

Aproxima-se o dia do 2º aniversário da B., e só consigo pensar como estava há dois anos atrás. Muito, mesmo muito grávida. A Bárbara quis nascer pontualmente às 40 semanas. Depois de uma gravidez boa, mas que começou com muito medo. Logo nas primeiras semanas tive um descolamento de placenta e fiquei em repouso absoluto. Tive tanto medo, que sonhava, sonhava e sonhava. E chorava. Um dia, acordei com a mão na barriga e com o som da minha própria voz a dizer "aguenta-te bebé".
Estava a chegar ao fim do primeiro trimestre e achei que não ia aguentar mais 6 meses naquele estado de pânico. Mas quando vi aquele serzinho a mexer tanto na ecografia das 12 semanas, quando lhe ouvi o bater do coração, rendi-me ao meu estado de graça e então tudo foi melhor.  Às 16 semanas soube que era uma rapariga, não tinha grandes expectativas em relação ao sexo, mas fiquei tão feliz. Às 20 parei de vomitar que nem uma louca. E comecei a senti-la. A primeira vez foi no concerto de Natal, a ouvir a "Silent Night", tocada por uma orquestra fantástica. Três pancadinhas. Nunca mais na vida me hei-de esquecer. Às 32 semanas comecei a ir às aulas de preparação para o parto, e a não poder evitar o assunto. Nunca expressei as minhas preferências em relação ao tipo de parto, à amamentação, a nada, a não ser ao local de nascimento. Quis que a minha filha nascesse na mesma maternidade onde eu nasci. Assim foi e foi acertadíssimo. Quanto ao resto, eu só queria que fosse o melhor, para ela e para mim. Nunca desejei uma cesariana, nunca desejei que ela estivesse sentada ou numa posição complicada e que inviabilizasse o parto normal. Mas o parto normal também me assustava comó raio. O que tivesse que ser, seria, nada a fazer, ela tinha que sair.
Às 36 semanas parei com as voltas que habitualmente dava e restringi a minha actividade física às caminhadas matinais ou de fim de tarde. Já me custava conduzir, já me custava caminhar, dormir, tudo. Estava lenta, mas tinha muita energia, uma energia que não correspondia ao meu modo slow motion.
Às 39 semanas preparei-me. Depilação, manicure, pedicure. Mala das maternidade no carro. Fui de fim-de-semana com o meu homem e às 3 da manhã de um sábado para domingo, perante o ar cómico e incrédulo do recepcionista  fiz o check out de um hotel em Barcelos, porque me rebentou a bolsa enquanto dormia. 
Desta gravidez guardo as melhores lembranças, porque foi a espera pela minha doce Cuquinha. Gostei de a ter só para mim, de a sentir, gentil e terna, e não me canso de lembrar daquela fracção de segundo em que a vi pela primeira vez, e a primeira vez em que a pele dela tocou a minha pele, em que lhe senti o cheiro, do beijo que lhe dei na cabecinha ensanguentada. Passaram quase dois anos desse dia. Ainda sinto um nó quando me lembro de tudo isto. E de como sou feliz desde então. E tão completa.

domingo, 26 de maio de 2013

Quase 2

A B. vai fazer dois anos e eu como mãe organizada que sou, estou a preparar uma pequenina festa familiar ... mesmo em cima da hora. Só podia ser. Durante uns meses fui coleccionando imagens inspiradoras no Pinterest, mas chego a uma semana da festa sem nada ainda definido. Coisas que sei: vai ser muito simples, a festa ainda é mais para os adultos. E como parece que se vai proporcionar, será ao ar livre. Por isso, vamos escolher o nosso adorável parque da cidade e tornar a coisa prática. Há parque para as crianças, muito espaço para jogar à bola e correr. E não ficamos a entalar-nos dentro de casa e eu a desdobrar-me em mil. Preparo o set, disponho a comida, a bebida, estendo a manta, e depois é disfrutar.
(Mas o que eu queria mesmo era uma casa com jardim).

sábado, 25 de maio de 2013

Vinte e poucos

Ontem fui visitar os meus avós ao cemitério. Ok, isto não foi bem dito, eles estavam no cemitério, mas estão vivos. Hmmm. Estavam a enfeitar as campas da família. A B. foi comigo. Primeiro, ela não tem noção do que aquilo é, depois se não fosse lá com ela, os meus avós mal a iam ver. Era dia de enfeitar, era dia de enfeitar. O cemitério é muito grande, com ruas largas, e por isso andávamos por lá, até que uma mulher de idade meteu conversa.
- É sua a menina?
- Sim, é minha filha.
- Ai que linda... miudinha, mas mesmo mimosinha.
- Obrigada.
- Mas não vai ter mais, pois não menina? Já chega.
- Pois... não sei.
- Mas a menina ainda é nova, tem vinte e poucos, não é?
- Ahaha! Não. Trinta e tal.
- (com cara de horrorizada) Não lhe dava essa idade, parece tão novinha. 
- Pois.
- Olhe, então já é tarde para ter outro. Deixe-se estar.
(Oh God...)

The pressure is on.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Na minha cozinha #5

Temos cozinheiro. O meu homem descobriu os encantos de fazer um jantar enquanto ouve um podcast, relaxadinho da silva enquanto eu trato da piquena. Hoje foi pizza. Estou tão orgulhosa!

Cogumelos, salsichão de perú, mozarella, tomate e ovo de codorniz. Five stars.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

*


A minha doce B. adormecida. 
Shhh... bom dia.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Mudanças



Ainda não está a 100%, mas para lá caminha. Adoro o header, feito pela The Art Studio, especialmente desenhado para este blogue. E o ar fresco que só o branco pode dar. Posso dizer que agora tenho um blog arejado, ainda que vá sofrer um ou outro retoque. Espero que gostem!

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Esta semana

Esta semana começa a mil à hora e cheira-me que vai ser assim até ao fim-de-semana. É o que se quer!
Também vai haver mudanças por aqui. A reformulação do blogue e a apresentação de algumas ideias. Novo header, novos posts e novo layout. É normal que eu não consiga fazer as alterações todas de uma vez e que isto fiquei meio instável ou caótico. É a vida. Mas vai ser uma alegria. 

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Sou como sou

Tenho dedicado uma boa parte do meu tempo a cuidar do meu portfólio e do meu currículo, de reunir em poucos sítios todo o meu trabalho, ter uma perspectiva do que já fiz, do que posso melhorar. Tenho uma baixa auto-estima incrível relativamente a isto, acho sempre que ainda não fiz nada de jeito. 
E sempre me preocupei em separar o meu lado pessoal do profissional, quando isso não faz sentido nenhum, porque sendo eu uma criativa, tudo o que eu absorvo se reflecte no meu trabalho, nas minhas ideias. E sempre tive muito pudor em assumir perante mim própria e perante os outros aquilo que gosto, que admiro, o que me move. E isso não me parece nada sincero, nem construtivo. Sou como sou. Sou muitas numa só. Arquitecta, designer, mulher, mãe. E tanto gosto do Requiem de Dvorak como da Lana del Rey. Não me posso reduzir a esta insignificância que tem sido a minha vida, neste sentido, claro. Assim também se cresce, ao assumir as nossas escolhas e tomar a responsabilidade por elas. E por isso, é com alguma "dor", mas também com muita satisfação que vou reunindo os pedacinhos do meu trabalho e percebendo que está ali algo de que me posso orgulhar, tão simplesmente porque foi o melhor que soube fazer e porque fiz sempre o melhor que pude.

Adoro as mensagens passadas assim


Via swissmiss.



Facebook do Vestido, aqui.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

B.




Pedi emprestada a máquina fotográfica do meu irmão, para fotografar as coisas para o portfólio, mas pelo caminho fui fazendo umas experiências com a B. nas suas brincadeiras em casa. A máquina dá dez a zero à minha velha Sony, é ultra rápida a responder e capta na perfeição estas expressões de segundos, expressões take it or leave it, desta carinha laroca da minha filha. Tenho deixado que o cabelo dela cresça porque já vai aguentando ganchos e totós e aquelas madeixas a cairem-lhe pela cara são irresistíveis. 
Canta muito, dança, está sempre a fazer traquinices. Ri-se de tudo, faz birras grandes, está a dias de fazer dois anos e é a minha menina querida. Apetece agarrar e não largar mais. 

terça-feira, 14 de maio de 2013

Do Porto com amor #04







Fui visitar o local de um possível novo projecto. Fingers crossed! E por isso passei parte da manhã aqui, na Ribeira de Gaia. Este sítio está a fervilhar de vida, tem movimento, tem pessoas a admirar a mesma paisagem que eu tanto amo. 



Facebook do Vestido, aqui.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Insta 365 :: Semana 19

 Seg
#126


Comecei a semana no ginásio. Good girl.


Ter
#127


Ela não passa sem o seu "eitinho".


Qua
#128


Primeiras plantinhas do meu canto de aromáticas: manjericão, hortelã, coentros (hei-de aprender a gostar) e orégãos.



Qui
#129


Nunca consigo lembrar-me do nome destas flores.


Sex
#130


Friends over e o meu primeiro assado com sucesso: coelho com rosmaninho e cerveja.



Sáb
#131


Gostei muito desta combinação e do meu outfit de hoje.



Dom
#132


Ela já começa a ligar aos bonecos e a tratá-los da mesma forma como a tratamos.
Children see, children do, está provadíssimo.




Facebook do Vestido, aqui.




Finalmente um portfólio

Não obstante à minha "crise existencial" fica aqui o meu work in progress, o meu portfólio. Melhor do que em blogues, ou páginas de Faceebok, facílimo de actualizar, coisa que pretendo fazer amiúde. Aqui.



Facebook do Vestido, aqui.

...

Foi preciso parar para perceber algumas coisas. Primeiro, não estou capaz de parar. Apenas, e por uns dias, troquei de prioridades. Era preciso fazê-lo, mas cheguei à triste conclusão de que a prioridade nunca sou eu. E a culpa é só minha.



Facebook do Vestido, aqui.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Uma menina muito bem educada

- Mamã, qué água! Qué água, xabô. Qué água, xabô.
- Pega amor. 
- Bigaga mamã, bigaga mamã, bigaga mamã.




Facebook do Vestido, aqui.



quarta-feira, 8 de maio de 2013

In the mood for




Zara











Mango


Era menina para passar o Verão assim, em maxis. Primeiro, favorece-me. A minha coxa larga é pouca dada a shorts, que eu adoro mas que não me lisonjeiam. Depois, porque quero emagrecer e chateia-me comprar calças que são sempre tão sensíveis a oscilações de peso e porque estou mesmo farta de calças, ponto. E gosto muito deste fluir, de andar e me sentir solta. Era muito feliz com estas saias e vestidos. Este último ficou-me aqui no coração.



Facebook do Vestido, aqui.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Hortices

A nossa nova aventura. 



Facebook do Vestido, aqui.

Dia da Mãe





Facebook do Vestido, aqui.

Insta 365 :: Semana 18

Seg 
#119


Passeio de fim de tarde, ela adora.


Ter
#120


 Pato, risotto, molho de tomate, manjericão. Bom sabor, má fotografia.


Qua
#121


 Sinto-me aqui como peixe na água.



Qui
#122


Um dos tectos mais bonitos do Porto.



Sex
#123


Presente do dia da Mãe. Vou tratar com muito carinho.



Sáb
#124


 Agarradíssima ao restinho do descafeinado.



Dom
#125


 Dia da Mãe. 




Facebook do Vestido, aqui.